F

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Harry Potter e a Pedra Filosofal - Resenha de Unicórnio


Harry Potter e a Pedra Filosofal
J.K. Rowling
Editora Rocco
Nota 5/5

Não é segredo pra ninguém que essa saga mudou a minha vida. Eu vivo até hoje dentro do mundo de Harry Potter e por isso decidi fazer essa singela homenagem às pessoas que me fizeram evoluir e ser quem eu sou hoje! Vou resenhar todos os livros da saga e tentar fazer pequenas comparações com os filmes, espero que gostem!

Sinopse: Em Harry Potter e a Pedra Filosofal, o leitor é apresentado a Harry, filho de Tiago e Lílian Potter, feiticeiros que foram assassinados por um poderosíssimo bruxo, quando ele ainda era um bebê. Com isso, o menino acaba sendo levado para a casa dos tios que nada tinham a ver com o sobrenatural pelo contrário. Até os 10 anos, Harry foi uma espécie de gata borralheira: maltratado pelos tios, herdava roupas velhas do primo gorducho, tinha óculos remendados e era tratado como um estorvo. No dia de seu aniversário de 11 anos, entretanto, ele parece deslizar por um buraco sem fundo, como o de Alice no país das maravilhas, que o conduz a um mundo mágico. Descobre sua verdadeira história e seu destino: ser um aprendiz de feiticeiro até o dia em que terá que enfrentar a pior força do mal, o homem que assassinou seus pais, o terrível Lorde das Trevas. 

O menino de olhos verdes, magricela e desengonçado, tão habituado à rejeição, descobre, também, que é um herói no universo dos magos. Potter fica sabendo que é a única pessoa a ter sobrevivido a um ataque do tal bruxo do mal e essa é a causa da marca em forma de raio que ele carrega na testa. Ele não é um garoto qualquer, ele sequer é um feiticeiro qualquer; ele é Harry Potter, símbolo de poder, resistência e um líder natural entre os sobrenaturais. 

A fábula, recheada de fantasmas, paredes que falam, caldeirões, sapos, unicórnios, dragões e gigantes, não é, entretanto, apenas um passatempo. Harry Potter conduz a discussões metafísicas, aborda o eterno confronto entre o bem e o mal, evidencia algumas mazelas da sociedade, como o preconceito, a divisão de classes através do dinheiro e do berço, a inveja, o egoísmo, a competitividade exacerbada, a busca pelo ideal a necessidade de aprender, nem que seja à força, que a vida é feita de derrotas e vitórias e que isso é importante para a formação básica de um adulto. 


“Ele vai ser famoso, uma lenda. Eu não me surpreenderia se o dia de hoje ficasse conhecido no futuro como o dia de Harry Potter. Vão escrever livros sobre Harry. Todas as crianças no nosso mundo vão conhecer o nome dele!”


Cara, chega a ser estranho eu, logo eu, estar sentada na minha cama sem saber o que falar sobre o primeiro livro... Sabe quando você já leu aquilo tantas vezes que não sabe como contar? Bem, bora lá.

Ainda bebê Harry foi deixado na casa dos seus tios, os Dursley (trouxas, que é como chamamos os humanos que não são bruxos), pois seus pais foram brutalmente assassinados por Lord Voldemort (eu falo o nome dele sim, porque eu sou comensal da morte e Sonserina). Ele cresceu sem saber a sua origem ou o porque de seus pais terem morrido, teve criação de Trouxa por todo o tempo, foi maltratado, dormia no armario em baixo da escada e usava as roupas velhas do gordo primo Duda.

No aniversario do Duda, os Dursley levaram todos ao zoológico e sem querer, Harry soltou uma cobra e prendeu o Duda dentro do "aquario" da cobra. Depois desse dia, muitas cartas de Hogwarts começaram a chegar na casa e o Tio Valter resolve fugir com toda a familia pra uma casa no meio do nada pra parar de receber essas cartas porque, nenhum deles queria ser associado com o mundo bruxo. Mas quando chega o aniversário de Harry, Hagrid, um gigante guarda caça da escola, vai até essa casa no meio do nada e conta para Harry sua verdadeira história e o leva para Hogwarts aprender magia e viver muitas aventuras.



Seguinte, minha opinião agora. Particularmente eu sempre achei o trio principal meio sem graça e sou da filosofia de que se não fosse a Sonserina, a minha maravilhosa casa, nem teria filme - risos.

Enfim, o mundo que JK nos mostra é maravilhoso. Um mundo onde muitos dos conflitos que vivemos no dia a dia são retratados com muito humor e de uma forma leve. 

Bem, chega de falar agora, me contem qual é a casa de vocês, quais personagens vocês curtem e se gostaram da minha proposta - Risos nervosos - Eu: Sonserina e comensal da morte. Amo o Dobby e a Bellatrix.

terça-feira, 18 de setembro de 2018

Relatos de uma mulher negra e depressiva – Resenha de Unicórnio #setembroamarelo

Autora: Joelma Santos
Sobre a obra:
+16 anos
Longlist Wattys 2018. 
Relato de uma Mulher Negra e Depressiva reúne breves relatos sobre a minha vivência enquanto 
mulher negra que teve seu corpo objetificado desde muito nova; da opressão e rótulos que se 
recaem sobre este corpo. A obra traz também algumas linhas de pensamento do feminismo 
interseccional, da afirmação sociocultural à constituição do ser feminino.   
*Aviso de gatilhos: preconceito, depressão, assédio, auto-estima e suicídio.*
Minha Opinião:
Mais um no tema setembro amarelo, são fatos reais, sentimentos, sensações e experiências que a autora passou, são textos curtos, mas que dizem muito, uma leitura rápida, mas não leve.
É uma conversa mais que um livro, lembra vagamente um diário, porém nada do tipo querido diário, ou neste dia, são fatos, divagações ocorrido na vida dela

‘’É um longo processo e antes de ser uma militante no feminismo negro que tenta ajudar outras mulheres, eu preciso me ajudar em primeiro lugar.’’

Fala sobre as experiências dela, e como ela foi se empoderando com o tempo, como o entorno dela, a sociedade pois um peso sobre ela, não só nela mais em todas as mulheres, e como ela foi se modificando para de certa forma agradar este, até o momento em que ela resolveu dar um basta e ser ela mesma.

‘’Passei e passo por um processo de desconstrução continua, pois o autoconhecimento, e uma descoberta e redescoberta diária.’’

Se você tiver passado por algo parecido independente se for negra ou não, com certeza se identificara, se emocionara, e mesmo que não tenha passado, provavelmente conhece alguém que passou ou que passa por isso. A sociedade é quase sempre cruel com aqueles digamos fora dos padrões estabelecidos, especialmente nós mulheres.

            “Enxergue esse texto como uma conversar entre mim e você, pois é exatamente isso o que ele é. Antes de entrar definitivamente nos pontos que quero tratar, entenda que minhas concepções relacionam-se ao lugar de fala que ocupo.’’

            Espero que ao lelo, vocês reflitam a respeito e pense, pois é mais que um relato somente, ou um desabafo, é algo para ajudar outras mulheres a se aceitarem como são, dizendo que o caminho não é fácil, que nem sempre serão flores, mas que é preciso seguir lutando para que no futuro não seja assim.

Beijão, até a próxima
MaLê


segunda-feira, 17 de setembro de 2018

O Cão dos Baskerville - Resenha de Unicórnio



O Cão dos Baskerville
Arthur Conan Doyle
Martin Claret
Nota 3/5

Sinopse: O detetive Sherlock Holmes e seu fiel amigo dr. Watson retornam em mais uma série de mistérios, assassinatos, pistas e perseguições em “O cão dos Baskerville”. Considerada uma das melhores aventuras do detetive, a obra foi originalmente impressa em partes, publicadas pela revista Strand Magazine de agosto de 1901 a abril de 1902, quando, no mesmo ano, foi lançada em formato de livro. “O cão dos Baskerville” possui uma história eletrizante que se tornou um clássico da literatura policial e promete prender a atenção do leitor a cada virada de página.

Resenha: O Cão dos Baskerville foi escrito por Sir Arthur Conan Doyle, publicado em 1902. Este é um dos quatro romances narrados pelo o Doutor Watson sobre as aventuras do primeiro e único detetive consultor do mundo, Sherlock Holmes.

A história começa quando um homem vai até o 221B em Baker Street, o famoso endereço de Holmes e Watson, para procurar ajuda em um caso extremamente singular. O homem se chama Dr. Mortimer e era o médico de Sir Charles Baskerville, um homem idoso, rico e bem apessoado que morava no Solar Baskerville, uma mansão de mais de 500 anos de tradição, abrigando todos os outros Baskerville. Porém, quando Sir Charles morre por motivos suspeitos e em um lugar estranho (um ataque cardíaco do lado de fora de sua mansão, a noite), Dr. Mortimer não pode deixar de se lembrar de uma lenda que aterrorizava a tradicional família chamada “O Cão dos Baskerville”. Resumidamente, a lenda dizia que um enorme cão de poderes sobrenaturais havia matado, há muitos anos, Hugo Baskerville, um dos antepassados da família e por causa de uma maldição, este cão iria matar todos os outros integrantes da família.

Claro que a primeira suspeita de Dr. Mortimer é achar que Sir Charles havia sido morto pelo o cão sobrenatural, mas Holmes e Watson acham diferente. Porém, o que acaba preocupando ainda mais o Dr. Mortimer é a chegada do jovem Henry Baskerville ao Solar da família, o único herdeiro da mansão e ingênuo a lenda do cão. O médico se preocupa com a segurança de Henry e pede a ajuda de Holmes.

Bem, preciso dizer que realmente não gosto dos romances de Holmes. Acho a leitura mais densa e bem parada, me identifico bem mais com os contos porque as histórias correm melhor e tem mais agitação, os romances são meio paradinhos. Não posso dizer que é ruim, mas também a leitura, pra mim pelo menos, não foi das mais prazerosas, por isso dei uma nota baixa.

sábado, 15 de setembro de 2018

Sierra Burgess is a Loser - Resenha de Unicórnio


                                                                   Sierra Burgess é uma Loser.
                                                                                                    Nota 8/10
                                                                 
Olá
Eu sou a Pégasus e estarei aqui com vocês fazendo críticas sobre alguns filmes e séries baseados em minha opinião, mas já adianto de antemão que eu vejo filmes e series de vários gêneros há muito tempo, posso sempre contar com meu ótimo bom gosto. Então vamos ser bonzinhos com novata.

Ficha Técnica:

Sierra Burgess é uma Loser (Sierra Burgess is a Loser) – EUA, 07 de setembro de 2018
Direção: Ian Samuels
Roteiro: Lindsey Beer
Elenco: Shannon Purser, RJ Cyler, Noah Centineo, Kristine Froseth, Will Peltz, Lea Thompson, Alan Ruck, Loretta Devine, Chrissy Metz, Alice Lee, Giorgia Whigham, Mary Pat Gleason, Joey Morgan
Duração: 105 min.

Sinopse: 

Sierra (Shannon Purser) é uma adolescente inteligente, mas que não se encaixa exatamente nos padrões de beleza impostos no ensino médio. Quando um incidente de confusão de identidade resulta em um romance inexperado em sua vida, ela se vê precisando se juntar a garota mais popular da escola para poder ficar com o menino que gosta.


Agora vamos falar do recém chegado ao catálogo da Netflix Sierra Burgess é uma Loser, mais um filme com temática de romance adolescente, surfando na onda do sucesso de Barraca do beijo e Para todos os garotos que já amei. Sierra vem com essa proposta só que consegue sair um pouco dos clichês do gênero com uma protagonista diferente posso dizer, me surpreendeu bastante logo nos primeiros minutos. O filme é protagonizado por Shannon Purser para aqueles que não sabem quem é, eu tenho o prazer de dizer que ela também incorporou a Barbara Holland ou Barb em Stranger Things, sim aquela injustiçada que desapareceu na primeira temporada e causou uma certa comoção. Como protagonista Shannon nos traz uma adolescente um tanto diferente, logo de cara podemos ver sua família com pais escritores, ela já deixa claro que é uma Loser assumida e não se importa com isso, agora pense comigo como isso foge dos clichês em que os "LOSER" odeiam essa identidade e lutam para sair dela, Sierra lida com o Bullying enfrentando sua agressora com inteligencia, nos comentários maldosos ela se sobressai com uma resposta inteligente que corrige o próprio comentário invertendo a situação de uma forma impressionante. Poderia passar horas falando sobre a personalidade incrível dessa personagem, mas acho melhor deixar vocês descobrirem sozinhos. 

Vamos falar agora sobre a Veronica (Kristine Froseth) de incio ela me pareceu muito insuportável com sua futilidade exagerada, mas com o passar da historia e a "amizade inesperada" entre ela e Sierra você é levado a entender um pouco mais do porque ela é assim na escola. Sobre nosso mocinho chamado Jamey (Noah Centineo o queridinho de Para todos os garotos que já amei, mais uma vez em filme do gênero), eu sinceramente achei ele o personagem mais fraco do quarteto protagonista,  não sei se é pelo fato dele ser um dos meninos clichês que almejam a garota mais popular da escola. Sobre o melhor amigo de Sierra: Dan (RJ Cyler)Pessoalmente eu queria um melhor amigo assim, sem mais para dizer sobre aquele ser humano fantástico.

Minha avaliação geral sobre o filme e boa, tem alguns problemas? Têm como todo filme, não é uma obra prima, conseguiu me surpreender na trama básica a qual estava fundamenta, tem ótimos personagens e uma protagonista carismática.  Fácil se aproximar de Sierra e isso aproxima muito a trama do telespectador que se vê refletido nas atitudes dela, é um ótimo ponto para um filme que consegue conversa com um publico mais amplo que gosta do gênero. Não é a toa que no feriado ele foi o filme mais comentado nas redes sociais, digo que foi muito merecido seus elogios diante da critica especializada. 
E desta que vós fala fica minha recomendação para que assista esse filme com carinho e deixe-se levar pela historia, que traz consigo uma desenvoltura nessa situação onde pode tudo acabar muito mal. Não vou dizer muito sobre o que acontece porque acho spoiler e quero que vocês tenham a mesma experiencia que a minha, apenas sabia o nome do filme e só.
Deixa um comentário falando sobre o que achou do filme, vamos debater.
Forte abraço, Pegasus.

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Meu corpo é muito pesado - Resenha de Unicórnio


Autor: Alan Bortolozzo / Léo Mufa
55 Capitulos
Sobre o livro:
               História de um garoto chamado Alan Bortolozzo, que vai descobrindo ao longo de sua vida, como se aceitar, como viver sendo homossexual, como ser aceito, como ter amigos que o apoiam, como ser recebido pela família e, o melhor, como é possível haver o amor entre homens. Após descobrir que Murilo, sua primeira paixão, precisará sair da sua vida para viver o sonho dos pais. Alan buscará na mais improvável pessoa do mundo, um caipira "burro", a forma de superar a perca que sua paixão deixou. Dia após dia, esse amigo vai se tornando algo que ele jamais imaginou o amor da sua vida. A história muda quando Murilo volta para casa e decide buscar em Alan, aquilo que não puderam viver adolescência. Vamos viver esse triangulo amoroso com muitas alegrias, risadas, aprendizado, despedidas. Bem vindo ao mundo do Alan Bortolozzo.

Minha Opinião:

É muito mais que um livro, é uma prova de amor, uma das maiores e mais lindas, ficará imortalizada na mente e nos corações dos leitores, se preparem para se emocionar, é o que digo
Postada no perfil de Alan Bortolozzo no wattpad. Á referencias do pequeno príncipe, por todo o livro, então quem for fã com certeza vai gostar, e quem não for passará a ser, e muito provavelmente saíra dessa leitura pensando em dar uma chance para ele.
É um relato biográfico, mais claro com licenças poéticas, não tem como ser cem por cento verossímil, a história se passa em parte da década 1990 e vai até parte da década de 2000.

"Meu segredo a você Leonardo: Eu não dormi nada nesse dia. Juro, eu não consigo dormir agarrado a uma pessoa e não dormi. Mas Leonardo, fique sabendo, foi a melhor insônia que tive em anos. Passei minhas horas ouvindo você roncar em meus braços. Isso foi um dos melhores presentes."

Ao termino desta leitura vocês saíram com vontade de viver, pelo menos eu sai, querendo aproveitar cada segundo, e claro acreditando no amor, e querendo encontrá-lo e viver da forma mais intensa possível.

"A noite caiu e mais uma vez estufamos nosso estômago. Pegamos um cobertor e fomos na beira do mato ficamos deitado e vendo as estrelas. Deitamos na grama fria, aonde meu corpo se esfregava para sentir a sensação do capim me tocar. E ficamos abraçados, vendo o céu. E mais uma vez passou uma estrela cadente”

Não é uma leitura leve, muito menos densa, porém deixará uma ressaca literária. Pelo menos em mim deixou, não consigo pensar nesse livro sem me emocionar, se você quer chorar, se emocionar leia-o, é muito lindo, e tem uma lição muito bonita: Aproveite a vida em quanto é tempo, ame, se entregue, a vida é muito curta para não se viver e aproveitar, faça as coisas hoje.

PS.: Quando for lelo, recomendo deixar uma caixa de lenços por perto.

Até a próxima, beijos
MaLê

terça-feira, 11 de setembro de 2018

A carta – Resenha de Unicórnio #setembroamarelo


Autor: Bruno Jovovich

Sobre a obra:
               Esta carta foi escrita quando eu estava em uma época da minha vida onde nada mais fazia sentido. Estamos no mês do "Setembro Amarelo" onde vários veículos de comunicação fazem campanha contra o suicídio.
               Bom, aqui está minha contribuição.
               Você vencer a si mesmo.
Minha Opinião:

Estamos em setembro, o mês da prevenção contra o suicídio, então nada mais justo do que começar abordar esse tema com essa carta de suicídio, verídica diga-se de passagem, que não aconteceu, segundo o escritor por pura covardia, mas que na minha opinião foi por pura coragem, já que viver é isso ter coragem, muitos apenas existem.
Ela foi escrita em um momento conturbada da vida do escritor quando ele estava se descobrindo gay, numa família preconceituosa, e chegou a cogitar essa ideia.
Esta carta está lá para ajudar outras pessoas que estão passando por situações parecidas, para quem cogita essa ideia, para dizer resista, lute, você é forte, você consegue, para dar apoio.
E para quem não esta nessa situação, para fazer refletir e quem sabe compartilhar até chegar em pessoas que precise.
Depressão não é brincadeira, não é frescura, é uma doença e como qualquer outra merece respeito e tratamento. 

Beijão, até a próxima
MaLê

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Senhora - Resenha de Unicórnio


Senhora
José de Alencar
Escutei em Audiobook pela LibriVox
Nota 4/5

  
"Há mulheres assim, a quem um perfume de tristeza idealiza. 
As mais violentas paixões são idealizadas no exílio"

Aurélia Camargo, filha de Emília, uma costureira, é órfã de pai, tem um tutor que é o seu tio Lemos, que cuida dos seus negócios e a ajuda a desenvolver suas aptidões. A moça é  muito cortejada, casar era o único caminho para as mulheres naquele tempo (Brasil imperial) numa sociedade altamente machista ou então ser freira.  Aurélia tem muitos ricos admiradores, o que poderia ser motivo de lisonja, mas ela é inteligente, não considera- se uma mercadoria, sente indignação por ter que viver tal situação.
Aurélia concentra- se de todo dentro de si; ninguém ao ver essa gentil menina, na aparência tão calma e tranquila, acreditaria que nesse momento ela agita e resolve o problema de sua existência; e prepara- se para sacrificar irremediavelmente todo o seu futuro.
D. Firmina Mascarenhas, uma senhora viúva que tinha a função de vigiar Aurélia, era uma “guarda- moça”. A senhora, um tanto materialista, como acontecia antes e ainda hoje na sociedade brasileira: o dinheiro faz do feio o bonito, e dá tudo, até saúde. 
Aurélia é romântica, acredita no amor, mas não é ingênua e nem tem escrúpulos para lutar por seu amor, teve que comprá- lo, como era costume na época, com seu “dote”, com a herança recebida do seu avô. A moça era determinada, bolou uma estratégia de conquista.  Aurélia pediu que o tio e tutor executasse tal plano. Adelaide era apaixonada pelo Dr. Torquato, que era pobre e seu pai não o aceitava. Então, Aurélia pediu ao tio que oferecesse um dote ao moço e que assim pudesse casar com Adelaide. O caminho ficaria livre para Aurélia casar com Fernando Seixas, moço na faixa de 30 anos, não era rico, mas tinha uma boa educação, feições nobres e bom gosto ao vestir-se.  Era filho de um funcionário público, ficou órfão aos dezoito anos. Ele era apaixonado por Aurélia, mesmo estando comprometido com Adelaide. Será que o plano de Aurélia deu certo? Aurélia e Fernando acabaram juntos? Será que o amor prevaleceu?


Preciso dizer que me surpreendi. Eu li esse livro no ensino médio, mas li daquele jeito sabe? Porque poxa, nada pior do que falar pra um adolescente "leia isso pois você é obrigado". Então eu li, mas só pra poder a prova e depois o vestibular. Quando o grupo dos "1001 livros para ler antes de morrer" do SPL propôs essa leitura eu fiquei  meio "ai que porre" mas resolvi dar uma chance e peguei o livro mas não deu, tentei pelo audiobook e deu super certo! Sem contar que como eu não costumo "ler" em audiobook, foi uma experiencia maravilhosa!

É realmente uma coisa lamentável que as pessoas que leram o livro "obrigadas" como eu, nunca deem outra chance pra ele, eu dei e gostei bastante, confesso que estou NAS NUVENS com ele. (risos)

sexta-feira, 7 de setembro de 2018

2 Héteros numa balada GLS – Resenha de Unicórnio


Autor: Fábio Linderoff
24 Capítulos + Epilogo

Sobre o livro:

Uma das histórias mais famosas do Orkut está de volta em uma edição totalmente revisada.
 
  Fábio Linderoff é um rapaz de 20 anos que, assim como todo mundo, precisa trabalhar, estudar e lidar com os problemas do cotidiano. Sua vida muda após um beijo despertar desejos que ele desconhecia.
  2 Héteros numa Balada GLS já é um clássico da literatura GLS informal, a história autobiográfica continua a cativar leitores em todo o Brasil e fora dele com sua narrativa dinâmica e totalmente despida de pudor.
  Arquivos dessa história ainda são disseminados em PDF, em blogs e em sites desde que fora publicado pela primeira vez no Orkut em 2008.
  Entre nessa balada e venha conhecer um pouquinho desse cueca que vai adorar compartilhar com você como foi se descobrir um "cueca-gay".

Minha opinião:

O livro que abolou o Orkut a dez anos, ou pelo menos a comunidade gay, ficando entre os primeiros mesmo depois do termino.
Atualmente postadas em dois perfis do Wattpad, um na versão original no perfil de um fã, e o outro no perfil do autor, revisado e atualizado.
Este é o primeiro livro da Trilogia dos Cuecas. Idealizado inicialmente para ser um conto, que acabou crescendo e virando um livro, que deu origem a mais dois “Verdade entre Cuecas” (postado nos dois perfis) e “100 cuecas!” (sendo postado atualmente no perfil do autor, marcando 10 anos do primeiro livro) graças aos pedidos dos fãs e a vontade desse escritor maravilhoso.

“O maior medo que podemos ter é descobrir o que verdadeiramente somos, do que realmente somos capazes e o que efetivamente estamos dispostos a fazer para alcança nossos objetivos

Não é um romance, é a história de auto descoberta de Fábio Linderoff, Fabinho para os íntimos, baseados em fatos reais, acontecido com o autor e conhecidos dele. O que acontece se suas certezas caem por terra, se tudo o que você acreditou mudasse, por causa de um fato, de um beijo, e a venda dos seus olhos fossem finalmente retirada?

“Uma borboleta reconhece a outra pelo bater de asas.”

O medo, a negação, a frustração de desejar e não se permitir, as confusões, as duvidas as incertezas, até a aceitação... um caminho a ser percorrido e vivido, não importando para onde se vá, só a uma direção a seguir.

“Eu sou cueca, porra!”

Um livro não apenas para ler, mas para se viver...
Mostrando nos a outra face, o lado que a maioria dos romances gay esquecem de citar, que não é fácil, que nem todos estão preparados para se assumir, o conflito interno, a confusão de ser quem se é, de se aceitar, pois o pior preconceito é o próprio.

“Alguns caminhos temos que trilhar sozinho”

Não digo que é um livro sexy, muito menos romântico, mas vários fetiches são realizados durante o decorrer da estória, pode ser dizer que temos um triangulo amoroso com um final surpreendente.
É um livro para rir, chorar e amar, a quem prefira o ler devagar para fazer durar, e outros como eu que vão preferir devorar. Fábio nos apresenta uma visão diferente é um personagem cheio que conflitos, e duvidas sobre si mesmo, ele nem de longe é o mocinho, Daniel esse sim é uma pessoa que amamos e queremos colocá-lo no colo e protegê-lo, e para “vilão” o Paulo, ele não é mau, apenas tem atitudes questionáveis, e pensa só no próprio umbigo, e por ultimo e não menos importante a Danielle, a amiga que todos os gays tem ou deveriam ter, não só eles.
           
Esse é um dos meus livros preferidos e posso dizer que me marcou, então, nada mais justo, do que começar com ele. E vocês, já lerão? Se sim, diz ai o que acharão. Não? O que está esperando? Corre lá, e depois me diga o que achou, vou adorar saber.

Beijos, até a próxima
MaLê

Histórias Extraodinárias - Resenha de Unicórnio



Histórias Extraordinárias
Edgar Allan Poe
Nota 3/5

O livro é uma seleção dos contos mais perturbadores do autor, que apesar de não serem do mais absoluto terror, eles tem uma capacidade enorme de te perturbar e te fazer repensar algumas coisas.

Esse livro é um dos que eu ainda não tinha lido do autor, assumo que esperava um pouco mais, pelo fato de já conhecer o tipo de escrita dele e tal, mas foi muito proveitosa a experiência.

Não tenho muito a falar sobre esse livro em especial porque eu esperava um pouco mais, acho que acabei colocando expectativas demais e acabei dando com a cara na porta. Os contos tem mesmo um quê de suspense, coisas sobrenaturais e reflexões, mas mesmo assim, eu adorei ler.

Os contos que eu mais gostei foram: O Caixão Quadrangular, Gato Preto, A Carta Roubada e Coração Delator. Cada um com suas peculiaridades, podem ser bem assustadores dependendo de como esta seu humor quando você abre o livro.

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Arthur e o Vale de Papel - Resenha de Unicórnio


Arthur e o Vale de Papel
E. M. 
All Print Editora 
(livro cedido em parceria com a editora)
Nota 5/5

Gente, nada melhor do que ler um livro infantil pra alegrar a vida né? Principalmente quando o autor do livro É DA MESMA CIDADE QUE VOCÊ e você não fazia ideia disso.

Arthur é um menino do interior, tem 10 anos atualmente, adora desenhar.

Um belo diz, ele começou a desenhar um boneco de palito mas ficou cansado e foi dormir, o desenho teve que esperar pra ser terminado. No maio da noite, Arthur acorda assustado e percebe que aquele boneco de palito que ele havia desenhado antes de dormir ganhou vida!!!! Sim, ele ganhou vida e em primeiro lugar, "pede" ao garoto que desenhe olhos e boca para ele.

O Boneco o leva por uma aventura dentro do vale de papel, que é o lugar onde nossos desenhos moram! Não só os nossos, todos os desenhos e pinturas de todo mundo moram ali e ele acaba revendo algum dos seus desenhos mais antigos e acaba descobrindo uma coisa não tão legal assim.

O motivo de ele ter ido ao Vale de papel, que é um lugar proibido para humanos, é porque a Princesa do Castelo Mal Feito quer se vingar dos desenhistas pois nos últimos tempos começaram a aparecer desenhos sem terminar.

A partir daí a trama toda do livro se desenrola e vemos o quão lindo pode ser ter amor e empatia pelo proximo, como a amizade e o trabalho em equipe podem mudar tudo.

O livro é tão curtinho mas é tão curtinho, mas passa uma mensagem tão forte sobre companheirismo e superação, SPOILER pois Artur começa a desbotar durante a aventura dele, e isso pode fazer com que ele deixe de ser humano FIMDOSPOILER, corrigir os erros, e tentar ser sempre uma pessoa melhor. 

Eu li esse livro para o meu irmão de 8 anos e ele amou. Li também para as minhas crianças do Primeiro Ano do EF e todas adoraram e viajaram na história.

Leiam esse livro, só posso dizer isso!

quarta-feira, 5 de setembro de 2018

O Assassinato de Roger Ackroyd - Resenha de Unicórnio



O Assassinato de Roger Ackroyd
Agatha Christie
Globo Livros (a edição que eu li foi essa)
Nota 5/5


Com certeza, uma dos melhores livros da Agatha.

Fiz tantas teorias ao longo do livro e acabei dando com a cara na porta (mais uma vez) pois nada daquilo que eu imaginava que era, era. É isso.

Sinopse: Uma misteriosa sequência de três crimes. Uma velha senhora desconfiada. Um famoso detetive belga de férias, procurando alguma emoção. Este é o ponto de partida de O assassinato de Roger Ackroyd, um dos mais famosos romances policiais de Agatha Christie, em que está presente seu estilo inconfundível de promover uma verdadeira ciranda de suspeitos, em que o leitor é envolvido e para a qual ele é convidado a usar toda a sua inteligência e perspicácia.
Em uma noite de setembro, o milionário Roger Ackroyd é encontrado morto, esfaqueado com uma adaga tunisiana – objeto raro de sua coleção particular – no quarto da mansão Fernly Park na pacata vila de King’s Abbott. A morte do fidalgo industrial é a terceira de uma misteriosa sequência de crimes iniciada a de Ashley Ferrars, que pode ter sido causada ou por uma ingestão acidental de soníferos ou envenenamento articulado por sua esposa – esta, aliás, completa a sequência de mortes, num provável suicídio. 
Os três crimes em série chamam a atenção da velha Caroline Sheppard, irmã do Dr. Sheppard, médico da cidade e narrador da história. Suspeitando de que haja uma relação entre as mortes, dada a proximidade de Miss Ferrars com o também viúvo Roger Ackroyd, Caroline pede a ajuda do então aposentado detetive belga Hercule Poirot, que passava suas merecidas férias na vila.

Ameaças, chantagens, vícios, heranças, obsessões amorosas e uma carta reveladora deixada por Miss Ferrars compõe o cenário desta surpreendente trama, cujo transcorrer elenca novos suspeitos a todo instante, exigindo a habitual perspicácia do detetive Poirot em seu retorno ao mundo das investigações.




Resenha: Vamos lá, por onde devo começar? Agatha já chega metendo o pé na porta, nas primeiras 60 páginas do livro já morrem dois personagens, o terceiro morre mais pra frente.

A trama é extremamente complexa e instigante, ao ponto de eu não conseguir dormir por uns dias por ficar pensando no livro, Mais uma das histórias onde nosso amado Poirot aluga uma casa numa pequena cidade inglesa para curtir sua aposentadoria, mas quando os dois crimes acontecem, ele não consegue ficar de boa e vai logo descobrir o que ta rolando.

Como é comum em pequenas vilas, todos as pessoas se conhecem, seja por empatia, amizade ou fofoca. Então, quando Poirot chega ao local, decide usar o seu sobrenome de um modo diferente, para despistar qualquer curiosidade sobre ele que, naquele momento, já era considerado um detetive muito famoso. O primeiro contato dele, então, é com os vizinhos e irmãos James Sheppard, o médico da cidade, e Caroline Sheppard, conhecida como uma das pessoas mais fofoqueiras do local.
Caroline Sheppard é realmente uma personagem muito interessante, pois o próprio Poirot assume uma certa admiração por ela ter uma mente aguçada, capaz de compreender a natureza humana, de forma a, quase sempre, acertas sobre os motivos e atitudes de certas pessoas da cidade. E o seu irmão, James Sheppard, além de ser o narrador da história, vai acompanhar Poirot na busca do assassino de Roger Ackroyd, um senhor viúvo e muito rico que é encontrado morto em seu escritório, após ler uma carta de Dorothy Ferrars, que se matou na noite anterior por envenenamento.
O mistério é sobre o conteúdo da carta. O que Sra. Ferrars escreveu ali de tão grave que acabou por tirar a vida do homem que, no futuro, poderia ser o seu marido? James Sheppard, ao encontrar o corpo do amigo a carta havia sumido do escritório, a janela estava aberta e, segundo o mordomo, o sofá estava numa posição diferente. E foi Poirot, claro, que percebeu o detalhe que a lareira havia sido acesa, ou seja, a carta misteriosa foi destruída ali mesmo, no local do crime.
Na casa de Roger Ackroyd morava também alguns parentes, todos interessados na fortuna dele, porém, era sabido que a maior parte de sua fortuna iria para o seu filho adotivo que, assim que soube da notícia da morte do pai, foge.
Então, a história traz vários suspeitos e algumas pequenas situações paralelas se desenrolam, como a descoberta de uma paixão, que recebe ajuda de Poirot para se concretizar; uma mãe angustiada por ver o filho perdido nas drogas e um casamento secreto.
Na minha opinião é um dos livros mais  dificeis de se desvendar quem é o criminoso, quando eu descobri, eu quis me jogar da janela do ônibus, de verdade. Fiquei realmente chocada. Quando contei pro meu pai (enorme fã dela, que já leu e tem TODOS os livros da rainha) ele teve a coragem de rir de mim. Minha namorada teve a mesma reação que eu, mas eu meio que contei quem era o vilão pra ela, então ela só quis me matar mesmo.

Realmente, se o que dizem por ai for verdade, que tudo o que poderia ter sido escrito sobre romances policiais já foi escrito pela Agatha, eu realmente preciso abraçar os escritores de romances policiais. Rindo de nervoso.

Você já leu esse livro? O que Achou? Conta ai!!!


créditos das fotos: Blog Lendo & Comentando

terça-feira, 4 de setembro de 2018

Wattpad e Kindle – Resenha de Unicórnio



Wattpad para quem não conhece é um aplicativo, onde escritores do mundo todo podem compartilhar seus livros, de forma gratuita. Pode ser acessado através do site ou do aplicativo para Windows Phone, Android e IOS. A história conhecidas e desconhecidas, de todos os gêneros, desde poesia a terror, muitos autores ficaram famosos aponto de chamar a atenção de editoras e terem seus livros publicados por elas.
Claro que nem tudo são as mil maravilhas, aqui se aprende a não julgar um livro pela capa, a muitos em que a capa é maravilhosa e a história nem tanto, outros que não se da nada pela capa e você acaba se surpreendendo pelo conteúdo. Muitos são escritores amadores, iniciantes, apenas por hobby, claro que a profissionais também. Então é bom relevar alguns erros, claro que às vezes da vontade de virar editor só para corrigir.
Na maioria dos casos não são erros gritantes, são erros de digitação que passou batido, claro há os erros ortográficos, de concordância, é raro encontrar estórias com muitos erros, mas não impossível, já aconteceu comigo, apenas uma vez, e acabei tendo que abandonando o livro.
Não deixe que um livro “ruim”, impeça de continuar, há estórias maravilhosas que ainda não foram descobertas, a escritores maravilhosos, a espera de um lugar ao sol, sem contar, que estaremos ajudando e incentivando essas pessoas a fazerem o que gostam e até quem sabe transformar o hobby em profissão, fora que estaremos valorizando nossa cultura, nosso país, claro que você poder ler de escritores de outros países como Portugal (gosto bastante), EUA e por aí...
Muitos escritores começam a postar seus livros e simplesmente somem, deixando-os incompletos, outros, demoram a postar, então pode acontecer de vocês começarem a ler e descobrirem que não tem final, ou que vai demorar para postar o próximo capitulo. Porém vale muito apena, pois você tem uma interação maior com os escritores, podendo se transforma em amigas (os) deles.



Kindle Unlimited é o aplicativo da Amazon, com milhares de livros disponíveis para leituras, livros em português e em outros idiomas, os primeiros 30 dias são gratuitos, para testá-lo, após esse período você paga uma taxa de R$19,90 por mês para ter o acesso livremente a todos os livros.
Também é um local para organizar os e-books e PDFs. Não é preciso ter o Kindler, para ter ou usar o aplicativo, basta baixá-lo gratuitamente no computador, tablet ou celular (Android ou IOS), para aproveitá-lo.
Aqui terá muitos autores conhecidos do grande publico, tanto nacionalmente, quanto internacionalmente, como também desconhecidos o que poderá ser um achado ou não esses livros. Alguns escritores do wattpad acabam postando suas obras aqui depois de pronta, por terem feito sucesso ou por outro motivo, os autores acabam transformando-os em e-books. 
Acredito que o kindle seja muito parecido com o Saraivaread, que é o aplicativo da Saraiva para e-books.

Olá Unicórnios, espero que gostem, e que esse seja o incentivo que faltava para se jogar de vez nos aplicativos de leitura, além de ser muito prático, claro que nada vai substitui os livros físicos; E para quem gosta de escrever é uma ótima alternativa para divulgação de suas obras, não desanimem caso não haja retorno imediato ou esperado.

 MaLê

Corte de Espinhos e Rosas - Resenha de Unicórnio


Corte de Espinhos e Rosas
Sarah J. Maas
Galera Record
Nota 5/5


" Não importa o que ela diga a respeito disso, 
não importa se é apenas meu tolo coração humano. 
Mesmo quando queimarem meu corpo, vou amar você."


ARREBATADA estou com esse livro. Confesso que não sabia muito o que esperar sobre o livro, principalmente porque muitas amigas minhas que já leram esse livro falaram que ele só fica bom depois das 200 paginas, fiquei com medo de desistir, mas acabou que adorei ele desde o inicio!

Sinopse: Ela roubou uma vida. Agora deve pagar com o coração. Nesse misto de A Bela e A Fera e Game of Thrones, Sarah J. Maas cria um universo repleto de ação, intrigas e romance. Depois de anos sendo escravizados pelas fadas, os humanos conseguiram se libertar e coexistem com os seres místicos. Cerca de cinco séculos após a guerra que definiu o futuro das espécies, Feyre, filha de um casal de mercadores, é forçada a se tornar uma caçadora para ajudar a família. Após matar uma fada zoomórfica transformada em lobo, uma criatura bestial surge exigindo uma reparação. Arrastada para uma terra mágica e traiçoeira — que ela só conhecia através de lendas —, a jovem descobre que seu captor não é um animal, mas Tamlin, senhor da Corte Feérica da Primavera. À medida que ela descobre mais sobre este mundo onde a magia impera, seus sentimentos por Tamlin passam da mais pura hostilidade até uma paixão avassaladora. Enquanto isso, uma sinistra e antiga sombra avança sobre o mundo das fadas e Feyre deve provar seu amor para detê-la... ou Tamlin e seu povo estarão condenados.





Resenha: O livro já começa contando um pouco sobre a Feyre e sua familia e logo de cara já podemos ver a força dessa mulher. A mãe dela morreu, o pai é um "aleijado" que não tem coragem de fazer mais nada da vida depois do ocorrido, as irmãs são duas tontas (desculpa gente), uma é boba e a outra é arrogante mas pelo menos é esperta.

A história começa mesmo depois de a Feyre ter "matado" um lobo na floresta de onde tirava o sustento da familia. Ela matou um Feérico. Vendeu a pele dele. E de acordo com o tratado firmado, os Feéricos podem cobrar pela vida do morto, foi o que Tam fez. Ele foi até a casa da garota e a levou junto com ele para a Corte Primaveril, alegando que sua familia seria assistida e ficaria bem, o que foi um alivio para a menina pois no leito de morte da mãe, jurou cuidar da familia.

Mas (me desculpem se sair uns spoilers agora, qualquer coisa, pare de ler aqui) a Corte Primaveril foi assolada por uma praga, que fez com que todos os Feéricos que lá residem, ficassem com máscaras grudadas em seus rostos, isso aconteceu há uns 49 anos mais ou menos. Sem contar que, TODOS os feéricos tiveram sua magia reduzida, pois ELA os controla, ELA é uma sem vergonha de marca maior, ELA quer dominar Prythian. 

Durante sua estadia na Corte Primaveril, a Feyre tenta fugir mas sempre dá errado e depois de conhecer Lucien (melhor amigo de Tam) e de Tam garantir que sua familia esta sendo sim assistida e que eles pensam que Feyre esta cuidando de uma tia e acabou herdando uma gorda fortuna, tudo fica bem. Ok, nem tanto, ela morre de medo de ser esquecida e ter quebrado a promessa que fez pra mãe.

No meio de tudo isso, a Feyre acaba vivendo muitas aventuras, descobrindo coisas novas, novas criaturas de Prythian, acaba se apaixonando pelo Tam, descobre quem é o ELA que todos falam, conhece o Rhys (melhor personagem ever), VOLTA PRO MUNDO HUMANO pois a maldição evoluiu muito e Tam, que já a amava, resolveu mandar a garota de volta para casa para protegê - la, MAS AI....

Bem, chega, antes que eu conte a história toda. Mas acho que deu pra notar que eu amei esse livro né gente? Cheio de força, criaturas magicas, descobertas e revelações, amor, amizade, luta por um amor, luta por promessas...

E você, o que faria para cumprir uma promessa? O que seria capaz de fazer para salvar o amor da sua vida? 

Devo dizer que estou mais do que ansiosa para começar a leitura do livro 2!!

Já leu o livro? O que achou? Me conta ai nos comentários, tô doida pra ouvir sua opinião!!