F

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

{CARTA} O meu ano - Resenha de Unicórnio

E ai minhas pessoas, tudo bem?

Esses dias eu tava passeando pela blogsfera e vi um post (em um blog que eu não lembro agora) que eu fiquei morrendo de vontade de fazer. Basicamente é uma cartinha pra mim mesma, contando como foi meu ano e o que eu pretendo realizar em 2019. Bom, vamo lá então?!




2018 foi um ano insano pra mim, meu ano pode ser resumido num daqueles memes de “a copa foi em 10 dias, eleição 3 anos e o resto do tempo eu não sabia o que tava fazendo” (risos nervosos).

Mas falando sério, foi um ano muito louco! Foi o ano em que eu fui morar sozinha em uma cidade longe da dos meus pais (eu já morava sozinha, mas na mesma cidade, e como passei num concurso público nessa outra cidade, eu tive que mudar) e consegui me manter sozinha, o que era meu maior medo. Eu criei o blog em Maio desse ano, conheci pessoas lindas que me ajudaram nessa caminhada pro blog chegar onde chegou, fiz novas amizades, comecei meu TCC da faculdade (gente, que negócio encapetado), fui muito feliz no quesito profissional, tive o prazer de conviver com anjos iluminados e profissionais que contribuíram muito pro meu aprendizado.

Eu me encontrei em 2018, finalmente entendi quem e o que eu sou e o que eu quero fazer da minha vida; encontrei o amor no Tinder! Sim, agora eu tô casada, mas eu conheci minha mulher no Tinder.

Foi um ano de conhecer gente linda e especial que me apoiou, me socorreu quando eu tava passando por dias complicados; foi um ano que, apesar de ter começado bom e ter ficado meio estranho, eu passei a me amar mais, me aceitar, me cuidar e prezar pela minha saúde mental.

E agora, quase no fim do ano, eu tive a maravilhosa noticia de que eu fui aprovada em uma seleção pra trabalhar em uma editora de verdade! Como revisora e tradutora! Pra quem não sabe, eu sempre tive um pé no jornalismo e desde que comecei a ler igual louca, achava o trabalho editorial lindíssimo e sempre quis fazer parte desse mercado e agora eu posso!

Acho que a conclusão que posso ter de 2018 é que eu chorei muito, li muito, aprendi outras línguas, fiz amigos literalmente no mundo todo, eu curti, me desesperei, amadureci, me amei e aprendi a conviver comigo mesma de uma forma que eu nunca imaginei que conseguiria.




Pra 2019 eu realmente não quero criar grandes expectativas porque eu sou muito ansiosa, então quero ficar de boa e deixar tudo fluir.


Mas, como ninguém é de ferro, tenho minhas metas, que na verdade não são metas, eu só quero continuar o que eu comecei em 2018.

Quero continuar com o blog e quero voltar com o Instagram e quem sabe criar um Canal no Youtube. Quero me organizar melhor no meu dia porque eu sou meio atrapalhada e acabo não conseguindo fazer tudo que eu queria ter feito, ir bem na faculdade, continuar tendo sucesso na profissão de professora e agora com o trabalho na editora quero dar o meu máximo também. Quero que meu casamento seja lindo e continue sendo maravilhoso como é agora e como era quando nós ainda namorávamos.

Quero ler muito e comprar muitas coisas e livros pra mim.

Acho que é isso que eu quero pra 2019.

Agora é tua vez, me conta como foi seu 2018 e o que você espera pra 2019!

Beijos&Brilhos e até a próxima! 

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

Os pesadelos de Sophia - Resenha de Unicórnio



E ai minhas pessoas, tudo bem?

Vocês já devem estar cansados de me ver falando de livros de amigos meus ou de escritores que viraram meus amigos, mas eu preciso admitir que, por mais que seja repetitivo falar de livros de amigos, eu tenho um orgulho enorme de poder chamar essas pessoas de amigos e saber que nossa relação vai muito além do profissional. E hoje tô aqui pra falar do conto da Chay. Uma amiga querida que me ajudou MUITO em um momento muito frágil da minha vida e que merece todo o sucesso do mundo. Bora lá então?!


Os Pesadelos de Sophia
Lavynia Cheyene
Nota 4/5 ✰'s

Sinopse

É na noite que nossa mente e corpo encontram descanso, é onde podemos pensar e analisar o dia que tivemos. É quando podemos nos afastar dos outros e por fim sermos nós mesmos.
Para Sophia, é diferente, quando a noite chega, trás consigo o terror. Em seu quarto que deveria ser seu abrigo, sua cama abriga o maior monstro existente, fazendo coisas ruins com a jovem garota. Naquela noite em questão, tudo mudou e nada seria como antes. A tendência era piorar. Um pesadelo que tenta se livrar vem a tona, junto com seus maiores medos, segredos, e uma vontade louca de se manter acordada. Não feche os olhos.


"Uma confusão foi causada em sua mente. Ela queria respostas, queria poder entender e saber como resolver tudo aquilo.
Ela só queria acordar."


Opinião e Resenha

O conto é super curtinho, no kindle dá mais ou menos uns 10 minutos de leitura, em uma sentada você lê.

Foi uma leitura meio agoniante devo dizer. Logo de cara a gente entra num cenário meio macabro, cheio de corpos, sangue, fantasma, super insano. E ali, pelo menos foi essa a impressão que eu tive, a menina começa a ver tudo aquilo que ela mais teme na vida.

Eu senti uma vibe meio Silent Hill nesse conto. Se você não sabe o que é a Silent Hill, é uma cidade cheia de demônios onde cada pessoa que vai lá, personifica seus maiores medos e traumas. Acho que a Chay quis inserir a Sophia nesse meio porque a impressão que a gente tem é que ela ta realmente muito apavorada e vendo gente que ela ama morta, ouvindo vozes e tudo que ela tem medo tá ali, mas também posso estar errada.

O tipo de escrita e vocabulário são super fáceis de entender e por mais que eu tenha demorado um pouco pra entrar na história, quando peguei o fio da meada, fluiu bem!

É uma leitura boa, recomendo sim. Porém, tenha estômago.

Mas, agora me conta, o que seria seu pior pesadelo??

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

HIV/AIDS Confissões de um soropositivo - Resenha de Unicórnio


Autor: Leonardo Cezimbra
User: @LeonardoCezimbra6
28 Capítulos




Sobre a obra:
               Um dia recebi o resultado de um exame de sangue que mudou toda minha vida...... Medo, 
angústia, sofrimento e superação. Todas as confissões de um soropositivo.
Minha Opinião:

            Li esse livro a um tempo no wattpad, porém ele também está disponível na Amazon, deixei para fazer a resenha esse mês, na verdade era para ter feito no dia 1º, mas eu acabei esquecendo e só lembrei essa semana.
            É um livro auto biográfico, conta a historia de Leonardo, desde quando ele se descobriu soropositivo e parte dessa trajetória. Todos devem ler esse livro, pois além de ser informativo, é mais, é humano, empático.
            Trata-se de um assunto que querendo ou não, nos remete aos anos 80/90, mesmo que você não tenha vivido nesta época, quando houve o surto e vários ídolos morreram em decorrência da AIDS. Nesse livro vemos o relato de Léo, como ele descobriu, como foi contar para os familiares e amigos, qual a sensação, os sentimentos, tudo.
            Vivemos e nos sentimos na sua pele, fora que isso foi um divisor de águas na vida dele, pois isso separou o joio do trigo digamos assim, já que graças a isso ele viu quem eram seus amigos de verdade. Apesar de termos o conhecimento da palma da mão, muitos não usam, escolhendo assim a ignorância e o preconceito.
            Este livro serve para isso, além de nos mostrar que o HIV/AIDS não é nem um bicho de sete cabeças, e muito menos uma sina de morte, nos conscientiza e nos tiram dúvidas. Nos informa, nos dá um exemplo de força.
            Ele poderia guardar isso para si, porém não, ele resolveu abrir, expor essa parte da vida dele, ser militante, para lutar por ele e pelos outros, para quebrar o preconceito, pois querendo ou não, ainda há. Não só para isso, mas como disse, informar e conscientizar as pessoas sobre o assunto.
            É uma causa, uma luta e merece nosso respeito, nossa aceitação e também o nosso apoio, talvez você conheça alguém portado do vírus e não saiba, nem todos contam, e mesmo que não, sempre é bom aprender sobre algo, se informar. Dia 1º deste mês foi o dia mundial da luta contra HIV e AIDS, apenas um dia, não um mês, e quase não se ouviu falar sobre o assunto. Então nada mais justo do que divulgar esse livro, e fazer minha parte na disseminação do conhecimento.
            Agora minha pergunta, vocês já leram algo relacionado a esse tema, ou com personagens portadores do vírus? Se sim, deixe ai nós comentários.

Beijão, até a próxima
MaLê

As Razões de Cris - Resenha de Unicórnio



As Razões de Cris
Maria Freitas
Editora Resistência
Nota 5/5 + 


"O mundo pode te colocar pra baixo e te dizer um milhão de vezes que você é insuficiente. O problema nasce quando você começa a falar isso pra você mesma."



Sinopse

Ainda na infância, Cris construiu um castelo para proteger seu coração. Quando estava na terceira série, conheceu Pedro, um garotinho gordo, assim como ela. Juntos, os dois descobriram os encantos de uma infância no interior e sonharam em conquistar o mundo.

Cris só não contava que seu castelo começaria a ruir por dentro, justamente pelas mãos de quem ela permitiu que entrasse. A mulher que conta essa história já não é mais a mesma garotinha destemida de antes. Uma amizade, uma bicicleta rosa e uma música roubada mudaram tudo. 20 anos se passaram e Cris deseja se vingar. Mas de quem e por quê?




Resenha e opinião

"Descubra quais são seus sonhos, o que você acredita. E ame o que você descobrir ser."

Eu já tinha uma admiração enorme pela Maria, mas nunca tinha lido nada dela porque ela aparenta ser super séria nas redes sociais eu morria de vergonha de falar com ela, até que um dia tomei coragem e fui ler “A vida imperfeita de Teca” aos 45 do segundo tempo, pouco antes de ele ser tirado do wattpad (resenha da Teca) e  chorei como condenada. Depois não resisti e aproveitei uma promoção que ela fez pra comprar outros dois livros dela, As Razões de Cris e As razões de Henrique. Hoje, vamos falar sobre a Cris.

Cris é uma menina negra, gorda, com auto estima baixa, que sofre inúmeros tipos de preconceitos na escola, os quais a mãe dela que é diretora da escola também sofreu.

O Pior deles é o Rick Cabeça de Ovo, um menino péssimo que vive enchendo o saco dela.

Temos o Henrique, o crush da Cris, guarde esse nome, ele é o protagonista do próximo livro. Ele é bissexual e teve até que se mudar para poder ser quem é.

Na história, temos também o Pedro, melhor amigo da Cris, eles não se desgrudam por nada e a Cris apresenta todo o seu mundo pra ele, como diz no livro, são eles, Cris e Pedro naquela bicicleta rosa em Santa Maria Madalena. Porém, um dia, Pedro começa a fazer sucesso com uma música que a Cris escreveu. Além disso, quando o sucesso começa, ele nega a menina que dizia amar.

Uma coisa sobre o livro é que é EXTREMAMENTE complicado falar dele, por causa dos temas retratados no livro. É um livro cheio de dor, a dor da Cris de ser negada pelo melhor amigo N vezes e das coisas que ela sofre ao longo do livro é extremamente palpável. Assumo o risco dos spoilers agora, mas se coloque no lugar dela: Ser negada pelo melhor amigo que fez sucesso às custas dela, sofrer bullying a vida toda, ter um “namorado” que todos dizem que só ficou com ela por fachada pois ele é Bi, ter que aturar as pessoas te chamando de sapatão só porque sua melhor amiga é lésbica, você também não iria querer se vingar? Mas de quem? Porque?

Essa história mexeu muito comigo, as razões da Cris são realmente válidas e o decorrer da história é simplesmente fantástico, eu não consigo imaginar um tiro na cara melhor que esse livro.

Eu preciso falar que foi, com muita dor, muitas lágrimas e o coração muito apertado que eu conheci a Cris e suas razões. Uma leitura que me desconstruiu inteira, me fez repensar muitos aspectos da minha vida e só reforçou ainda mais o que eu descobri com a Teca; que o ódio mata, por dentro e por fora e que a vingança não é um prato que você come frio, é só um veneno que você toma esperando que outra pessoa morra.

Bom, por hoje é isso! Espero que tenham gostado, deixem nos comentários o que vocês acharam do livro e me falem sobre vingança. 

Beijos&Brilhos ✨

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Fahrenheit 451 - Resenha de Unicórnio


Fahrenheit 451
Ray Bradbury
Editora Globo
Nota 3,5/5 ✰'s
“Todo mundo deve deixar algo para trás quando morrer, meu avô disse. Uma criança ou um livro ou uma pintura ou uma casa ou uma parede construída ou um par de sapatos feitos. Ou um jardim plantado. Algo que sua mão tocou de alguma forma, então sua alma tem um lugar para ir quando você morre, e quando as pessoas olham para aquela árvore ou aquela flor que você plantou, você está lá. "



Sinopse

Escrito após o término da Segunda Guerra Mundial, em 1953, Fahrenheit 451, de Ray Bradubury, revolucionou a literatura com um texto que condena não só a opressão anti-intelectual nazista, mas principalmente o cenário dos anos 1950, revelando sua apreensão numa sociedade opressiva e comandada pelo autoritarismo do mundo pós-guerra. Agora, o título de Bradbury, que morreu recentemente, em 6 de junho de 2012, ganhou nova edição pela Biblioteca Azul, selo de alta literatura e clássicos da Globo Livros, e atualização para a nova ortografia. A singularidade da obra de Bradbury, se comparada a outras distopias, como Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley, ou 1984, de George Orwell, é perceber uma forma muito mais sutil de totalitarismo, uma que não se liga somente aos regimes que tomaram conta da Europa em meados do século passado. Trata-se da “indústria cultural, a sociedade de consumo e seu corolário ético – a moral do senso comum”, segundo as palavras do jornalista Manuel da Costa Pinto, que assina o prefácio da obra. Graças a esta percepção, Fahrenheit 451 continua uma narrativa atual, alvo de estudos e reflexões constantes. O livro descreve um governo totalitário, num futuro incerto, mas próximo, que proíbe qualquer livro ou tipo de leitura, prevendo que o povo possa ficar instruído e se rebelar contra o status quo. Tudo é controlado e as pessoas só têm conhecimento dos fatos por aparelhos de TVs instalados em suas casas ou em praças ao ar livre. A leitura deixou de ser meio para aquisição de conhecimento crítico e tornou-se tão instrumental quanto a vida dos cidadãos, suficiente apenas para que saibam ler manuais e operar aparelhos.




Resenha e opinião

Nesse livro, conhecemos a vida de Guy Montag, um bombeiro cuja principal atividade é queimar livros, é isso ai, os bombeiros queimam casas e bibliotecas de todas as pessoas que desobedecem a lei antilivros.

Guy, que nunca questionou nada e só vive sua vidinha, passa a questionar muita coisa a partir do momento em que vê uma moça ser queimada viva junto com o livros dela. Então ele começa a se questionar o que teria levado aquela moça a morrer junto com os livros dela. Será que os livros têm algo a oferecer ou ela é só louca mesmo?

Quando ele começa a questionar as coisas, é ai que surge a Clarisse McClellan, uma vizinha meio doida que faz ele enxergar a vida de outra forma e se enxergar de outra forma.

A partir daí que o livro se desenrola. Ele é dividido em três partes, o começo foi chato pra mim, mas depois que algumas coisas começaram a ser explicadas, a leitura foi fluindo e foi ficando bem gostoso e super mega tenso, tem muitas reviravoltas e o final e as atitudes do Guy e da mulher dele e do corpo e bombeiros ao longo do livro são simplesmente fantásticas!

O livro também tem filme, produzido pela HBO, vou deixar o trailer dele aqui. Eu ainda não vi o filme, mas espero mudar isso em breve.



Agora, deixo a pergunta, você morreria junto com seus livros? Quais segredos seus livros escondem? Esse livro ou filme, te remete alguma coisa? Vamos conversar!!! <3

Beijos&Brilhos ✨



quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Nova Partida - Resenha de Unicórnio


PELO AMOR DE DEUS, VAMOS GRITAR GENTEEEEEEE!!!!

Ontem, eu tive a maravilhosa noticia de que a minha amiga, a Luara (que também é dona dos grupos de leitura coletiva que eu vivo falando aqui, o SPL), voltou a escrever!!!!!!

Ela me mandou o link da história dela e eu fiquei simplesmente passada. A premissa da história é ótima e como só tem um capitulo bem curtinho, é dois minutos pra ler e o jeito que ele acaba, BRASEL, é de matar, de verdade.

Vou deixar a sinopse e o link da história pra vocês conferirem e irem no Wattpad deixar amor pra ela, porque, real, ela merece! <3

Sinopse: 

Estou presa a um jogo de xadrez humano há tanto tempo que não sei mais se alguém busca por mim lá fora. Hoje, eu consegui atingir o maior status de respeito entre os jogadores: serei o rei no tabuleiro, ainda que sejamos só mulheres.
Eles me mantém aqui a tanto tempo que acho que sou boa nisso, e é mais seguro assim. Não quero mais ser presa ao X.
Afinal, a perda de uma peça é o ponto de partida para um jogo novo, não é?
Sei que a sala estará lotada, afinal, as peças perdedoras vão receber sua punição e acho que será a mais concorrida dos últimos tempos. Os outros jogadores poderão usar as peças como quiserem, desde o abuso até a morte.

Sensacional né? Bom, pra conferir a história é só clicar AQUI e adicionar a história na sua biblioteca pra não perder nenhuma atualização.

Beijos!!!

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

A Revolução dos Bichos - Resenha de Unicórnio



A Revolução dos bichos
George Orwell
Companhia das Letras
Nota: 4 / 5 ✰'s


Sinopse (skoob)

Verdadeiro clássico moderno, concebido por um dos mais influentes escritores do século 20, 'A Revolução dos Bichos' é uma fábula sobre o poder. Narra a insurreição dos animais de uma granja contra seus donos. Progressivamente, porém, a revolução degenera numa tirania ainda mais opressiva que a dos humanos. Escrita em plena Segunda Guerra Mundial e publicada em 1945 depois de ter sido rejeitada por várias editoras, essa pequena narrativa causou desconforto ao satirizar ferozmente a ditadura stalinista numa época em que os soviéticos ainda eram aliados do Ocidente na luta contra o eixo nazifascista.

De fato, são claras as referências: o despótico Napoleão seria Stalin, o banido Bola-de-Neve seria Trotsky, e os eventos políticos - expurgos, instituição de um estado policial, deturpação tendenciosa da História - mimetizam os que estavam em curso na União Soviética. Com o acirramento da Guerra Fria, a obra passou a ser amplamente usada pelo Ocidente nas décadas seguintes como arma ideológica contra o comunismo. O próprio Orwell repetiria o mesmo gesto anos mais tarde com seu outro romance 1984, finalizado-o às pressas à beira da morte para que o mesmo service de alerta ao ocidente sobre o horrores do totalitarismo comunista.

É irônico que o escritor, para fazer esse retrato cruel da humanidade, tenha recorrido aos animais como personagens. De certo modo, a inteligência política que humaniza seus bichos é a mesma que animaliza os homens. Escrito com perfeito domínio da narrativa, atenção às minúcias e extraordinária capacidade de criação de personagens e situações, A revolução dos bichos combina de maneira feliz duas ricas tradições literárias: a das fábulas morais, que remontam a Esopo, e a da sátira política, que teve talvez em Jonathan Swift seu representante máximo.


Porque quase todo o produto do nosso esforço nos é roubado pelos seres humanos. Eis, aí, camaradas, a resposta a todos os nossos problemas. Resume-se em uma só palavra – Homem. O Homem é o nosso verdadeiro e único inimigo. Retire-se da cena o Homem e a causa principal da fome e da sobrecarga de trabalho desaparecerá para sempre. (p.12)


Opinião e Resenha

Eu já tinha ouvido falar muito bem desse livro, mas nunca tive a oportunidade de ler e como boa louca que sou e como ando consumindo MUITOS livros com temas políticos, quando vi esse livro na biblioteca da minha cidade não pensei duas vezes antes de ler.

Durante a leitura, não existe uma só página que não seja irônica ou extremamente ácida! A critica aos regimes extremistas é tão descarada que ao mesmo tempo que eu tava rindo eu tava chorando de desespero.

O livro conta a trajetória da Granja do Solar onde os animais, liderados pelos ideais do Porco Major, se revoltam com o seu dono, o Sr. Jones, após a morte do porco. Expulsam o cara da granja e tudo mais. A partir daí, a granja muda de nome, sendo a Granja dos Bichos.

No livro, conta que Jones vive bêbado e explora os animais da granja e não dá nenhuma condição digna de trabalho e todas essas coisas.

Depois da expulsão do humano, os porcos, que assumem a liderança por serem considerados os mais inteligentes do lugar, que a trama simplesmente genial começa a se desenvolver.

O livro tem um teor politico enorme, foi escrito como uma sátira ao governo do Stalin e mostra claramente a manipulação das massas, de como algo que aparentemente é bom, na verdade é horrível e penoso.

Não consigo falar mais por motivos de possíveis spoilers, mas cara, na real, se você ainda não leu esse livro, por favor, leia! É uma leitura muito boa e vai te fazer questionar muitas coisas sobre o cenário politico de hoje, deveria ser uma leitura obrigatória, de verdade.

domingo, 2 de dezembro de 2018

Nikole - Resenha de Unicórnio



Autora: Maíra Rocha
User: @alm4nua

Sobre a obra:

               São Paulo nunca foi tão fria em pleno mês de março como estava sendo para Haiako.
               Depois de perder o emprego e o marido, ela se engoliu em um buraco negro cheio de álcool e desespero. Além de sua filha lhe evitar, a depressão e a ansiedade fizeram-se presente.
               As coisas parecem se complicar ainda mais quando sua vizinha e amiga, Margo, abriga a sobrinha andrógina: Nick - Nikole.
               Haiako agora terá que entrar em guerra com todos os seus monstros e a presença sedutora e misteriosa de Nick na sacada ao lado para questionar sua orientação sexual.

               Obs.: Essa história tem muitos gatilhos mentais para quem sofre de algum transtorno psicológico.
Minha Opinião:
               Não sou de fazer resenha de livro que ainda não está completo, porém senti que esse merecia, ele pedia por uma. É simplesmente uma preciosidade, é muito mais do que um livro com temática LGBT, especificamente lésbico, confesso que o que me atraiu para esse livro foi isso. Porém levei um tapa na cara digamos assim, pois não se trata apenas disso, a gatilhos, fala sobre um relacionamento abusivo, sobre descobertas, sobre se permitir.
               Tudo começa com Haiako sofrendo pelo pedido de divorcio, ela não entendia o porque disso tudo, essa reviravolta em sua vida. Primeiro o emprego, depois isso, ela sente que as pessoas mudaram, sendo que na verdade ela que mudou e só começa a perceber isso depois dessa sacudida que a vida lhe deu.
               Ela tem uma visão distópica do marido, acredita que é o príncipe encantado, homem perfeito, coisa que não é, e ela vai enxergando isso aos poucos, sabe quando se acomoda em uma situação e não percebe que está ruim? Então era o casamento dela, ao meu ver, tinha acabado a um tempo só que ela não via, foi prolongado por tempo demais.
               No inicio ela fica relutante em aceitar, ela não entende o porque disso tudo, sua filha se afasta, vai morar com o pai, ela conhece sua nova vizinha Nick (Nikole), sobrinha da sua amiga Margor, que na verdade é aquele tipo de pessoa que diz não ter nenhum problema com os LGBTQ+ desde que eles não sejam da sua família, ou seja, aqueles preconceito velado. Hai começa sentir uma atração instantânea por essa garota, porém ela tem medo e não se permite, ao menos no primeiro momento, porque de alguma forma isso lembra sua colega da faculdade que se suicidou.
               Ela aceita que sua filha possa ter beijado outra garota e quem sabe até mesmo vir a namorar uma, mas quando é com ela mesmo, parece que é algo proibido,  a uma briga constante nela entre o que ela quer e o que ela acha certo.
               “Eu sei que posso me apaixonar por qualquer pessoa, não é o que tem no meio das pernas que vai me chamar a atenção”
               No meio disso tudo a depressão, e a ansiedade, que a afunda cada vez mais, tem alguns gatilhos então não é uma leitura leve digamos assim, fala também sobre aborto.
               Perguntei para escritora se ela tinha ideia de quantos capítulos teria esse livro, porém ela falou que não sabe, pois está escrevendo conforme as idéias vem, então com certeza tem muita história pela frente, atualização uma vez por semana.
               Encerro essa resenha/resumo recomendando esse livro para qualquer pessoa, que se interesse pelo assunto, e até para aquelas que não, para que deia uma chance, não é uma leitura leve, entretanto é uma leitura fácil, ao menos ao meu ver. Da para fazer varias reflexões, sobre o assunto, indicar para amigas e amigos.
Beijão, até a próxima

MaLê

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

A Garota do Lago - Resenha de Unicórnio


A Garota do Lago
Charlie Donlea
Faro Editorial
Nota 4/5 ✰

Sinopse

Summit Lake, uma pequena cidade entre montanhas, é esse tipo de lugar, bucólico e com encantadoras casas dispostas à beira de um longo trecho de água intocada. Duas semanas atrás, a estudante de direito Becca Eckersley foi brutalmente assassinada em uma dessas casas. Filha de um poderoso advogado, Becca estava no auge de sua vida. Atraída Instintivamente pela notícia, a repórter Kelsey Castle vai até a cidade para investigar o caso. ...E Logo Se Estabelece Uma Conexão Íntima Quando Um Vivo Caminha Nas Mesmas Pegadas Dos Mortos...E enquanto descobre sobre as amizades de Becca, sua vida amorosa e os segredos que ela guardava, a repórter fica cada vez mais convencida de que a verdade sobre o que aconteceu com Becca pode ser a chave para superar as marcas sombrias de seu próprio passado.



Sobre o livro

O livro nos conta a história da Becca, uma mulher que foi brutalmente assassinada e violentada enquanto passava uns dias na casa de veraneio da família. Ela foi pra lá com a intenção de estudar para as provas finais da pós - graduação. Filha de família tradicional e rica, sempre se mostrou quieta e sem muitos amigos, quem dirá inimigos; Mas, devido ao assassinato sem sinal de arrombamento na porta, conclui - se que Becca tenha aberto a porta para o assassino.

Ela esconde muitos segredos e pouco antes de ser morta, ela deixa uma carta e faz uma ligação pros pais contando tudo aquilo que esconde, tirando assim um fardo das suas costas.

Sobre o assassinato, quando as marcas de violência são encontradas e descobrem que ela abriu a porta do pro assassino, a investigação passa a ser secreta, pois o pai dela quer ser juiz e não quer que ninguém saiba de nada muito extraordinário a respeito da morte da menina. O delegado da cidade é afastado do caso.

É ai que entra a Kelsey. Uma repórter que acabou de voltar pro trabalho após passar por uma situação traumática, é enviada para Summit Lake para investigar mais sobre o caso, que, aparentemente é só um assassinato, mas acaba tomando proporções diferentes e vira quase uma questão de honra para a Kelsey desvendá - lo.



Minha opinião

Bom, quando eu ganhei esse livro, fiquei super animada pra ler pois já tinha visto muitas críticas positivas sobre ele. Confesso que engoli o livro até quase o fim, mas conforme foi chegando o final e não tiveram muitas reviravoltas, eu acabei deixando ele meio de lado, mas também não faz com que minha experiência com o livro tenha sido muito positiva.

O livro tem duas narrativas paralelas, a da Becca, que mostra a história dela antes e até o dia da morte e a da Kelsey, que mostra como ela vai parar em Summit Lake e o acontece com ela enquanto ela tá investigando o crime. Eu tô numa vibe de ler livros com esse vai e vem né?!

Os personagens não são tão bem construídos como eu achei que seriam, na verdade, eles são bem mornos mesmo. Mas o livro tem uma atmosfera meio escura que me prendeu bastante, o que foi muito bom, apesar do fim ter sido bastante previsível (e eu ficar igual uma tonta esperando um plot twist muito louco, que não veio), a leitura é ótima! Tão boa, que tô de ressaca kkkk

Bom, acho que é isso gente! Me contem ai nos comentários o que vocês acharam do livro, quem já leu me conta como a experiência e quem não leu, me fala se ficou com vontade de ler!

Beijos e brilhos!!!