segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

[RESENHA] A Vida Invisível de Eurídice Gusmão


Olá brilhinhos, como estamos hoje? O post de hoje é pra contar a minha experiência com um livro mais do que incrível é que eu adorei cada segundo da leitura. Vamos lá.



A Vida invisível de Eurídice Gusmão veio pra me mostrar o quanto as mulheres avançaram nos últimos tempos.

O livro conta a história de Eurídice, uma moça com uma inteligência acima da média e que poderia ter sido qualquer coisa que quisesse, porém, ela é uma mulher carioca nos anos 40, ou seja, estava fadada ao casamento e ao convívio do lar.

“Ela sempre achou que não valia muito. Ninguém vale muito quando diz ao moço do censo que no campo profissão ele deve escrever as palavras “Do Lar”.”

Eurídice levou muitos nãos na vida: quando quis estudar flauta mais afundo, não pode pois moças devem se dedicar a ter um bom marido; Quis publicar um livro de receitas e não pôde, afinal, quem iria ler um livro escrito por uma dona de casa.

Ela se casou nova e logo entendeu que a vida dela era, basicamente, lavar as cuecas do marido, fazer comida, arrumar os filhos e o tempo que sobrava (que era muito tempo) ela deveria ficar sentada no sofá olhando a estante de livros. Como diz no livro, Eurídice não pode se permitir pensar no que ela poderia ser fora dos muros da casa, então ela arranja desafios para lhe ocupar a mente: cozinhar tudo que der mesmo que a família não ligue é, mais pra frente, costurar.

Quanto mais ela tenta se encaixar naquela vida de família de classe média da Tijuca, com um marido que não levanta a mão pra ela e por isso ele é fantástico, filhos bons e dispensa cheia, mais inquieta ela fica. E é no meio dessa inquietação que ela redescobre a estante para qual tanto olha! Tolstói, Shakespeare, Flaubert, dentre tantos outros que passam a fazer companhia pra ela.

E é nessa hora que meu coração começou a palpitar de alegria! Eurídice compra uma máquina de escrever e a coloca no antigo escritório que o marido usava, e os dias agora são preenchidos por infinitos tec tec tec tec!

“era uma mulher brilhante. Se lhe dessem cálculos elaborados ela projetaria pontes. Se lhe dessem um laboratório ela inventaria vacinas. Se lhe dessem páginas brancas ela escreveria clássicos. Mas o que lhe deram foram cuecas sujas, que Eurídice lavou muito rápido e muito bem, sentando - se em seguida no sofá, olhando as unhas e pensando no que deveria pensar.”

O livro também fala sobre os outros personagens, como a faxineira de Eurídice, conta a vida do marido dela e dos vizinhos que a cercam, os pais dela, mas sem sombra alguma de dúvida, a melhor personagem é a irmã de Eurídice, Guida Gusmão. Não vou me alongar aqui contando muito sobre a história dela, mas que história fantástica! Mas mostra também, em contrapartida, a crueldade. Guida passa por poucas e boas na vida, mas mesmo assim, mesmo com uma força sobrenatural que tem, ela precisa se render ao casamento para se encaixar na sociedade.

No começo do livro a autora fala que essa é uma história sobre nossas avós e é realmente verdade. Minhas avós, que infelizmente não conheci, tiveram vidas muito parecidas com o que é relatado no livro. Isso só me faz pensar uma coisa: se hoje eu posso escolher ser o que eu quiser, inclusive dona de casa, é exatamente porque as avós não tiveram nenhuma escolha. 

Um livro curto, mas com um peso gigantesco! Eu amei cada página desse livro. Ri, me emocionei, chorei, me compadeci de alguns personagens e tive ódio de outros. Caso tenha oportunidade de ler esse livro, não deixe passar.

13 comentários:

  1. Olá, tudo bem? Não conhecia esse livro ainda, mas parece ser muito interessante, principalmente por causar tantos sentimentos no leitor. Adorei a resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  2. Que demais! Eu ainda não tive a oportunidade de ler esse livro. Mas ver que uma personagem está a frente do seu tempo e não se acomoda com a situação em que vive é maravilhoso. Já quero ler

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Eurídice e a irmã dela são, sem sombra de dúvida, as melhores personagens que eu já vi!

      Excluir
  3. Só de ler sua resenha eu já fiquei apaixonada pelo livro. Tem pontos brilhantes! Se passa em uma época diferente, com problemas específicos, fala sobre superação, dificuldades que hoje nao enfrentamos tanto quanto naquela época, mas que podemos sentir na pele só de ler.
    Vale muito a pena e já quero muito saber qual vai ser o fim dessa história.

    um beijo

    www.chuvanojardim.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que a história não tem bem um fim, é um ciclo, isso meio que sempre se repete e eu acho que essa foi a grande sacada daa Martha ao escrever o livro.

      Excluir
  4. Esse é um livro que certamente lerei quando puder. Deve ser doloroso ver a personagem podendo ser tanta coisa, mas levando nãos da sociedade e tendo que se encaixar no que se esperava das mulheres da época.

    ResponderExcluir
  5. Oie, tudo bem? Nossa, eu tô há tempos pra ler esse livro, acho que ele entrou na minha meta do leia mulheres em 2018, até. Mas ainda não o li e perdi de assistir ao filme no cinema. Deve ser uma história transformadora e que expressa bem os anseios femininos, mesmo nos tempos atuais. Nós somos multifacetadas e não queremos nos contentam com o óbvio, e acho que a personagem transmite muito disso. Vou ver se esse ano eu leio! Adorei a resenha, me fez entender melhor a narrativa.

    Love, Nina Spim.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Bianca.

    Eu não conhecia este livro e através da sua opinião eu fiquei bastante curiosa. Vou seguir seu conselho, caso apareça uma oportunidade vou lê -lo. Muito obrigada pela dica. Adorei!

    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Oi Bianca,
    sabe amada, esses livros que retratam a sociedade passada de certa forma me encantam e também me entristecem sabe? É tão pesado o quanto a sociedade subjugou e claro ainda subjuga a mulher, chega me dá um sentimento de revolta por dentro, porque sei que minha avós viveram isso e talvez pior porque ela eram da roça. Mas sem dúvidas é um liro que toca e mostrar que resistir é importante e necessário.

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir
  8. Esse livro está no meu Kindle e vou ler logo mais. Pela sua resenha vou amar. E maravilhoso agora a gente poder refletir sobre essas questões. Temos muitas lutas para vencermos. Devemos ser agradecidas às mulheres que vieram antes de nós.

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem? Não conhecia o livro, mas dica super anotada! Realmente é um livro que pode transpassar a realidade nos nossos antepassados, às vezes nem tão distante, e que com certeza tem muitas mensagens importantes. Adorei a sua resenha e estou doida para conhecer essas personagens fortes. Adorei!
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Nossa, parece ser uma obra que mexe demais com a gente e deixa muitas mensagens, eu estou curiosa com a leitura e espero poder ler em breve. Adorei a resenha!

    ResponderExcluir

Visitas!

Quem você quer ler?!

Receba os posts do blog!